RSS
Imagem

Os números de 2012

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2012 deste blog.

Aqui está um resumo:

600 pessoas chegaram ao topo do Monte Everest em 2012. Este blog tem cerca de 11.000 visualizações em 2012. Se cada pessoa que chegou ao topo do Monte Everest visitasse este blog, levaria 18 anos para ter este tanto de visitação.

Clique aqui para ver o relatório completo

 

Tags: , , , , , , ,

A Revolução sob o Véu – o Poder da Mulher Islâmica

 

O Livro Sagrado do Islã, o Alcorão ou Corão, aceita as mulheres em pé de igualdade nos negócios, na sociedade e mesmo na guerra. Então por que, em pleno século XXI, casos estarrecedores cometidos contra islâmicas vêm a público? As novas gerações de mulheres aprenderam, no entanto, que não podem se calar. Querem seus direitos de acordo com a evolução do tempo e mostram ao mundo que, atrás do véu, há dor, mas também possibilidades de mudança. O curso analisa a mulher islâmica e as transformações da relação com o islamismo e as diferentes formas de atos cruéis legitimados por uma lei em nome de Alá.

Este e muitos outros assuntos dentro do tema serão discutidos durante o Curso na Casa do Saber, a partir do dia 13 de agosto, às 20 horas, pela Plano B Consultoria.

Janaína Machado, sócia-diretora, irá dar o curso em quatro encontros, analisando  a mulher islâmica, seu papel na sociedade muçulmana, direitos, amor, sexo, agressões, humilhações, casamento com e sem amor e o uso do Véu.
Oportunidade única de conhecer uma cultura milenar e fascinante. Aulas esclarecedoras, bem ilustradas, com muitos cases de mulheres islâmicas que chamaram a atenção de todo o mundo. Um rico panorama sobre esta mulher tão poderosa.

Não perca! Faça já sua inscrição!

Uma oportunidade única de conhecer esta cultura milenar!

Mais informações: http://www.casadosaber.com.br

 
Deixe um comentário

Publicado por em 30/07/2012 em Uncategorized

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

Comunique-se Digital ensina como montar uma TV Corporativa

31/05/2012 – 13:26:34


Por Janaína Machado
O último dia do Congresso Mega Brasil de Comunicação 2012, realizado de 29 a 31 de maio, em São Paulo, fechou sua manhã com a palestra “TV Corporativa: O que você precisa saber, para montar uma”, de Rodrigo Azevedo, presidente do Comunique-se. Isso porque Azevedo deu uma verdadeira aula, recheada de dicas, para os profissionais de comunicação que lotaram o auditório com o objetivo de mostrar como é fácil montar uma TV Corporativa dentro de uma empresa e, ainda, valorizar o trabalho da Comunicação Interna.
Hoje, com custos reduzidos, uma empresa tem condições de fazer um Jornal Eletrônico, abandonar o Jornal Mural e ainda chamar a atenção dos funcionários de uma forma mais atrativa, com mensagens diretas e curtas, cheias de imagens, modelos coloridos e excelentes conteúdos. Os softwares, TVs de LCD, roteadores, DataCenters estão mais baratos e, segundo Azevedo, a melhor opção para a empresa é alugar todo o material, para garantir a manutenção. No final de todo o processo a empresa deve treinar os funcionários para realizar boas divulgações, com conteúdos relevantes que vão desde premiações, comunicação institucional, RH e seus benefícios, entrevistas com diretores e funcionários etc..
Os locais de escolha para implantação da TV Corporativa também é muito importante. Sempre a Comunicação Interna deve escolher locais como hall de elevadores, cafeterias, áreas de convivência, salas de espera, áreas de convivência, refeitórios e lanchonetes.
Azevedo, no final de sua palestra fez uma demonstração montando uma TV Corporativa com notícias do Congresso da Mega Brasil, e afirmou que escolher o software certo, formar parcerias com as áreas da empresa e realizar um excelente lançamento da TV, garante o sucesso da mídia e ainda, o profissional de comunicação nunca mais terá problemas de pauta, deixando definitivamente de ser um Indiana Jones para conseguir matérias. (Foto: Agência Imagem)

 
Deixe um comentário

Publicado por em 31/05/2012 em Uncategorized

 

Tags: , , , , , , , , ,

Mapa da FSB induz à comunicação sem fronteiras

30/05/2012 – 19:37:55


Por Janaína Machado

O maior mapeamento da comunicação brasileira realizado pelo Instituto de Pesquisa FSB acaba de ganhar a sua mais nova versão e foi divulgado, em primeira mão, neste segundo dia do Congresso de Comunicação Corporativa, que a Mega Brasil realiza até amanhã, dia 30, no Centro de Convenções Rebouças. Rachel Mello, diretora de Pesquisa do Instituto FSB, Rodrigo Caetano, diretor de Atendimento da Comunicação Nacional da Confederação Nacional da indústria (CNI) e Renato Delmanto, gerente de Relações com a Mídia do Grupo Votorantim, apresentaram os novos dados durante a palestra “Mapeamento da Comunicação Brasileira – Os Desafios para uma Atividade Estratégica”.
Lançado em 2009, com sua segunda edição em 2011, o mapa resulta de entrevistas feitas com 100 gestores da área de comunicação de 70 das 1000 maiores empresas que atuam no país (tanto estrangeiras quanto brasileiras) de acordo com o ranking do jornal Valor Econômico, e com 30 dos 100 principais órgãos públicos do Brasil.
O objetivo da pesquisa foi conhecer melhor o complexo mundo da comunicação organizacional no País e este mapeamento trouxe boas notícias: de 2009 para cá, os gestores conseguiram perceber que o novo cenário de redes sociais impõe grandes desafios para a área, como ter transparência, posicionamento, responsabilidade e interatividade. Novas regras surgem e sobram imprevisibilidade e fragmentação, e é preciso, a todo instante, criar e religar pontos. Rachel e Rodrigo foram unânimes em dizer que é preciso apagar as fronteiras existentes entre Assessoria de imprensa, Relações Públicas, Gerenciamento de Crises, Comunicação Interna e Markerting. “É importante integrar ações e explorar novos canais e isto está sendo feito, pois novos paradigmas estão sendo quebrados”.
Outra boa nova do estudo foi o aumento do uso de redes sociais por todas as empresas pesquisadas. O crescimento significativo é resultado do aumento do valor das redes sociais como novos canais de comunicação. Segundo Rachel Mello, a comunicação organizacional não abriu mão de nenhuma ferramenta já existente, mas aumentou o guarda-chuva de canais de comunicação. Outro ponto destacado pelos palestrantes foi o de tornar a comunicação interna uma área estratégica e para isto é preciso olhar para dentro, reivindicar a participação em decisões estratégicas, aumentar pontos de encontro de forma presencial e não virtual e deixar definitivamente de ser o patinho feito da empresa.
O mapeamento apontou para uma conclusão: em um novo mundo de comunicação interativa, não há mais fronteiras. (Fonte: Agência Imagem)

 

 
Deixe um comentário

Publicado por em 31/05/2012 em Uncategorized

 

Tags: , , , , , , , , , , , ,

Unimed-RJ propõe momento de reflexão sobre a comunicação interna

30/05/2012 – 18:13:52

Por Janaína Machado

A palestra de número 16 deste segundo dia do Congresso que a Mega Brasil realiza, no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo, foi um verdadeiro momento de reflexão proporcionado por Rafael Oliveira, coordenador de Comunicação da Unimed – Rio. O tema pelo qual ele discorreu foi a “Comunicação Interna na Unimed-Rio: Conquistas, Desafios e Barreiras para gerar aprendizado” e ele aproveitou para provocar a plateia com questionamentos acerca de seu processo em todo o país: “Como ela, a comunicação interna, está hoje sendo tratada no país? Para que ela serve? Como estamos e para onde vamos?”, perguntou.
Em suas reflexões, o também professor universitário disse que é fundamental que os profissionais de comunicação que atuam em uma área interna de uma empresa escrevam escrever textos concisos, menos jornalísticos, de forma mais ágil, pois estão lidando com o cliente interno. E este está cada vez mais focado em metas, sem tempo para ler notícias muito elaboradas.
O foco e desejo de toda área de comunicação interna de uma empresa é ser estratégico desde o início, realizar planejamentos e executá-los de forma a mostrar que não está no fim da linha de produção. “Temos que acabar com a era da comunicação interna como mero fazedor de jornalzinho. O importante é gerar informação, conhecimento, aprendizado, mudança de comportamento. Que tal gerar “educomunicação”, fazer com que os funcionários se sintam esclarecidos para melhorar seu trabalho?”, questionou.
Para Oliveira, é fundamental considerar este aspecto, uma vez que os funcionários se comunicam dentro da empresa e querem saber o que está por trás de cada informação. “Textos simples e informativos, esta é a minha proposta”, disse. Outro ponto levantado por Rafael Oliveira foi a questão a do compartilhamento de material via redes sociais corporativas. “É uma forma de acabar com guetos dentro das empresas, criando, inclusive, vínculos emocionais em função do engajamento e colaboração de pessoas de outras áreas. Sou a favor de rever processos, pois em algum ponto da criação da Comunicação Interna ela começou errada e deve ser mudada.”
Aproveitar a tecnologia e a simplificação que ela criou é o caminho a ser seguido. “Mobile e storytelling são ferramentas para ficarmos de olho, pois podem muito bem ser aproveitadas”, disse. “Nossa missão como comunicador está mudando, assim como nosso público e os canais de comunicação. Tudo está passando por aprimoramentos e estudos. As empresas estão se transformando, mas e nós?” (Foto: Agência Imagem)

 
Deixe um comentário

Publicado por em 31/05/2012 em Uncategorized

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

GM Brasil: desafio de engajar funcionários e clientes via redes sociais

30/05/2012 – 15:46:39

Imagem
Por Janaína Machado

A manhã do segundo dia do Congresso de Comunicação Corporativa da Mega Brasil 2012, que vai até o dia 31, terminou com a palestra “A General Motors e suas experiências com as Redes Sociais”, de Pedro Luiz Dias, Diretor de Comunicação da General Motors do Brasil. Considerada a maior fabricante de veículos do mundo e presente há 87 anos no Brasil, a GM Company vê as redes sociais como uma das ferramentas mais importantes hoje para a divulgação de produtos e serviços.
Segundo Pedro Luiz, a GM é uma empresa que prioriza a comunicação e as mais modernas ferramentas de redes sociais desde 2006, uma vez que a montadora enfrenta grande competitividade em seu setor de atuação, ajudando a companhia nas importantes tomadas de decisões.
Dentro da companhia há regras para a utilização destas ferramentas, mas como afirmou Pedro Luiz, ela é usada com muito discernimento e engajamento. A GM sabe que hoje todos navegam pelas redes sociais buscando informações a respeito de produtos e serviços, então como não implantá-las? Por meio delas a montadora consegue reforçar sua posição de mercado e ainda obtém inúmeras oportunidades para construir novos negócios e produtos.
A GM possui portal corporativo, portal mídia com conceito de “agência de notícias com informações corporativas”, 47 milhões de usuários ativos, possui Twitter com conteúdo institucional e mercadológico, é o quarto maior em usuários no Facebook e acaba de lançar seu mais novo carro totalmente por meio de redes sociais. “O uso de redes sociais é assunto sério para o público interno e principalmente para ouvir os clientes, suas reclamações e sugestões”, explica.
Uma plataforma interna ajuda na colaboração online, conectando a companhia de forma global e em tempo real, facilitando a comunicação, incentivando o diálogo e o compartilhamento de experiências, sempre com foco no negócio da empresa.
Pedro Luiz destacou que o uso das redes sociais foi fundamental no maior momento em que o mundo automobilístico passava por sua pior crise. Ajudou na revitalização da GM Brasil, na transição de lideranças e no retorno da rentabilidade. Hoje, todos dentro da companhia trocam informações com narrativas distintas e consistentes.
E o que significa comunicação para a GM Brasil? Pedro Luiz finaliza dizendo que “com muita criatividade devemos criar oportunidades de comunicação e relacionamento. É fundamental adotarmos uma dinâmica eficiente nos processos de transformação organizacional.” (Foto: Agência Imagem)

 
Deixe um comentário

Publicado por em 31/05/2012 em Uncategorized

 

Tags: , , , , , , , , , , ,

Profissional contemporâneo: há que ser veloz, sem perder a oportunidade, jamais


29/05/2012 – 19:19:36

Por Janaína Machado

Transformações, mudanças, o principal papel do profissional de comunicação moderno em cenários de crises econômicas mundiais foram temas abordados na palestra de nome “O Profissional de Comunicação Moderno – gerando negócios para cliente e para a agência” que Silvio Celestino apresentou na primeira tarde do Congresso Mega Brasil de Comunicação 2012, que a Mega Brasil realiza de 29 a 31 de maio, no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo.  
Parceiro da RP1 Comunicação na área de treinamentos da agência e sócio-fundador da Alliance Coaching, Celestino mostrou que as grandes transformações humanas geram fortes influências tanto em nossa vida pessoal como profissional.  “O ser humano não passa por mudanças e sim por transformações e elas são imutáveis. Não há como retornar. Isto vai repercutir em tudo, inclusive na economia. E não mexe somente com o profissional de comunicação, mexe com todas as áreas”, explicou.  E qual é o cenário apresentado quando tudo está acontecendo no mundo, principalmente em uma economia em constante mutação?  O que as empresas vão enfrentar? 
Celestino explicou que em um cenário que se transforma a todo instante, as empresas e o profissional de comunicação devem estar preocupados para entender as leis que regem o mundo e a economia. “Sabemos que a economia mundial não está indo muito bem, tanto na Europa quanto nos Estados Unidos, e as projeções realizadas recentemente pela revista The Economist para o Brasil não são tão boas. Talvez não haja um bom crescimento. Por este motivo, eu digo que as empresas precisam aproveitar este momento. Temos que planejar e executar em velocidade máxima.”, disse Celestino, para quem é preciso haver uma transformação rápida, nas empresas e no profissional. “É importante aprimorar as comunicações com as novas mídias; aprender a se comunicar com as novas gerações e aceitá-las como participantes ativas na construção de ideias, compreendendo que a tecnologia é a natureza dos negócios”, explicou. 
O palestrante afirmou que ainda há um longo caminho a percorrer nesta direção e quem não tiver esta visão não terá capacidade de se sustentar no futuro. “Ter a habilidade de saber o que vem pela frente; educar os acionistas, funcionários, clientes e comunidades; tudo isso, certamente vai ajudar os profissionais e a empresa a proporcionar mais lealdade aos seus produtos e serviços”, complementou.
E o que é esperado do profissional de comunicação? Como ele poderá contribuir com todo este cenário mundial de crises e transformações? “Engajamento no negócio do cliente; um profissional estratégico, planejador. Este profissional nunca poderá trabalhar com estratégia de sobrevivência, a empresa gastará toda a sua energia, esgotará os funcionários e não haverá crescimento”, disse. O ideal, segundo Celestino, é sempre ter em mente uma estratégia de crescimento e deu dicas importantes para ser um profissional de comunicação moderno: “Sempre apresentar soluções para mídias tradicionais e digitais; acompanhar novas formas de comunicação; ser bem informado, rápido e criativo e ter um poder de análise e eficiência na execução e na ação”.  E terminou de forma enfática:  “Em um cenário onde tudo muda e se transforma em velocidade máxima, o profissional de comunicação moderno não pode ter dúvida do que fazer:  ficar atento a novas fronteiras e tecnologias; estar sempre de olho no que vai surgir de oportunidade; não esperar que alguém ensine algo,pois deve ter capacidade para aprender sozinho; ter propósitos elevados e ver, principalmente, se está trabalhando em uma empresa com valores, crenças e ética semelhantes aos seus. E nunca, nunca perder as oportunidades”.
 
Deixe um comentário

Publicado por em 29/05/2012 em Uncategorized

 

Tags: , , , , , , , , , ,