RSS

Arquivo da tag: Motivação

Curso Liderança 360o e a Integração da Geração X e Y

É cada vez mais importante que os líderes de hoje estejam entoando um mantra no atual ambiente de negócios: “Ser autêntico, ser aberto e ser transparente”. Este mantra foi idealizado por Charlene Li, uma das mulheres mais influentes do mundo no campo da tecnologia. Infelizmente muitas empresas resistem a estes conceitos e preferem liderar de forma tradicional, realizando administrações baseadas em antigos conceitos e no controle centralizado. Este tipo de liderança tem afastado a nova Geração dos postos de trabalho, criando inúmeras insatisfações e a falta de integração com a Geração X, formada por uma turma de profissionais veteranos que ainda estão no mercado e poderiam estar atuando ao lado destes jovens como mentores e coaches. Uma geração de jovens que precisa controlar a impaciência, a ansiedade, possui alto potencial tecnológico, são inovadores, conectados e já tomam conta de 45% do mercado brasileiro. Uma vez integrados com a Geração X e seus líderes, e principalmente, por meio de motivação, a Geração Y tem condições de se preparar e enfrentar desafios do exigente mercado de trabalho e conquistar cargos de lideranças, tornando-se excelentes líderes.
Mesmo com todas as tecnologias e as mídias sociais, as lideranças têm como trazer para bem perto estas duas gerações, para isto basta utilizar novas técnicas, serem abertos e deixar de lado os antigos conceitos de controle que dominaram os antigos mercados de trabalho.
Esta integração é possível e é isto que o Curso de Extensão “Liderança 360o e a Integração da Geração X e Y” pretende apresentar. Inscreva-se! Ele começa no dia 17 de março e será ministrado pela consultora Janaína Machado, Sócia-diretora da Plano B Consultoria, na FACHA – Faculdades Integradas Hélio Alonso, no Rio de Janeiro.
O Curso será em seis sábados, com 4 horas de duração cada aula. Serão 24 horas de aulas mais trabalhos, com carga horária total de 32 horas e as inscrições estão abertas para todo o Brasil.
No link abaixo você poderá obter todos os detalhes do Curso, além da Ementa, currículo da consultora entre outras informações.
Faça já a sua Inscrição
Anúncios
 

Tags: , , , , , , , , , ,

Cursos e Palestras da Plano B! Conheça nosso Folder!

Imagem

Quer saber mais sobre a Plano B Consultoria Empresarial? Nós temos um site. Visite-o e conheça quem somos; nossa metodologia; nosso diferencial e muito mais: http://www.planobconsultoriaempresarial.com

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Comunicação face a face gera melhoria no clima interno

A jornalista Christina Lima entrevista para o Nós da Comunicação, o profissional de comunicação Fábio Betti,  que tem em seu currículo passagens pela Avon, Unibanco, Banco Real, Sodexo, Martin-Brower, e Schering-Plough. Ele prova que o olho no olho ainda é o melhor remédio para as organizações conseguirem manter o clima interna.

Ele mostra a importância deste tipo de comunicação, mesmo que seja difícil de se fazer. O diálogo tem que ser mantido para que se haja troca de informaçoes e percepções. Por sinal, este será o objetivo central de seu curso ao lado de Carlos Parente, ‘Comunicação face a face no processo de transformação organizacional’, ministrado em São Paulo, no dia 19 de agosto de 2010.

Nós da Comunicação – Entrevistas – Fábio Betti: ‘a comunicação face a face gera melhoria no clima interno’.

 

Tags: , , , ,

Os desafios da integração de equipes

A convite do site  ComunicaçãoEtc. , do profissional de comunicação Leonardo Bragança, especializado em comunicação empresarial, marketing interno e branding, a Plano B fala em artigo, sobre “Os desafios da integração de equipes”.

Leia agora o artigo.

 

Tags: , , , ,

É segredo

Se é um segredo, não conte a ninguém!

Quem disse que segredo não é a alma do negócio. Segredo é aquilo que deve ser mantido em sigilo, não pode ser revelado de forma alguma. Foi mantendo um grande segredo que a Unidos da Tijuca venceu o desfile das escolas de samba do grupo especial do Rio de Janeiro. Um Segredo que valeu ouro e que hoje tem o gosto da vitória.

Nós, como profissionais de comunicação, devemos aprender uma lição importante com o carnavalesco Paulo Barros, um ex-comissário de bordo, que durante 14 anos voou nos céus do Brasil. Trocou de profissão para ser hoje o ex-aprendiz de Joãozinho Trinta. Ele não esqueceu o que estudou: criatividade e segredo era a alma de todo o seu talento e negócio, levado para sua equipe que trabalhou para o belo e inusitado desfile da Unidos da Tijuca.

Pare, pense e reflita: escola de samba é uma empresa como outra qualquer. Mesma estrutura, organização, organograma. Nela encontramos Presidente, Diretores, funcionários, financeiro, comunicação interna, assessoria de comunicação, advogados, terceirizados, marketing, RH, etc. Funciona da mesma forma: faz planejamentos estratégicos, reuniões, trabalho de integração e diretores de harmonia trabalham até a dispersão quando o desfile finalmente chega a Apoteose.

Eu escutei anos atrás, quando entrevistei Joãozinho Trinta, que se uma empresa trabalhasse da forma como uma escola de samba, não haveria tantos conflitos internos. “É tudo igual a uma empresa. Temos que ser organizados da mesma forma, planejar minuciosamente o que fazemos determinar metas e cronogramas, caso contrário o bolo desanda e a concorrência nos vence. Vocês podem aplicar tudo o que nós fazemos na escola de samba. Lá há integração, há harmonia, motivação, não há conflito. Se não houver integração, se não trabalharmos com alegria e metas, não conseguimos colocar a escola para desfilar e este não é o nosso objetivo”, diz Joãozinho Trinta.

Como uma empresa, uma escola de samba não tem nada de diferente. Eles têm uma meta que é vencer a concorrência e qual é a empresa que não deseja o mesmo? E para vencer, o que é necessário? Segredo. Foi mantendo segredo absoluto que a Unidos da Tijuca venceu a concorrência, deixando para trás grandes competidores e mais ainda, o povo na arquibancada e o mundo inteiro de boca aberta com a sua inovação, ousadia, criatividade e originalidade. A começar pela a Comissão de Frente, uma das mais originais de todos os tempos do carnaval carioca. O que continha ali: nada demais. Apenas segredo e uma equipe que acreditava no seu potencial e na sua inovação.

E não ficou por aí. Um carro com mais de cinco mil plantas verdadeiras, uma rampa com vários Batmans voando e Homens Aranhas escalando carros alegóricos. Fogo artificial que mais parecia verdadeiro em um carro que reproduzia a Biblioteca de Alexandria, que foi destruída em um incêndio, levando para sempre milhares de livros e segredos de nossa história.

A Unidos da Tijuca mostrou o que toda empresa deve ter: garra, motivação. Além disso, acreditar no trabalho em equipe e em um sonho, pois somente desta forma, conseguiriam conquistar, após 73 anos, a tão esperada  vitória. Hoje a escola e todos os seus “funcionários” sentem orgulho e carregam o título na alma e no coração de ser uma das grandes escolas do Rio de Janeiro. Uma equipe que trabalhou duro, em uma única meta e teve apenas 80 minutos para mostrar o esforço de um ano de uma comunidade/empresa.

Ser revolucionário e aceitar ideias também faz parte da diferença. Sabe como a Unidos da Tijuca criou o seu enredo? Depois que Paulo Barros, recebeu uma mensagem via Orkut, de Vinícius Ferraz, um rapaz de apenas 15 anos, que ama Carnaval. O adolescente teve a ousadia de encaminhar uma mensagem para o carnavalesco, que quase nunca abre suas mensagens. A ideia estava ali. Um enredo que falasse sobre todos os segredos da História da Humanidade. Uma única mensagem via rede social que mudou para sempre a história da Unidos da Tijuca. Paulo Barros acreditou e sabe o que ele fez? Manteve Segredo para Vinícius. Simples: um adolescente poderia ficar empolgado em saber que sua ideia foi aceita e sair espalhando para os amigos via rede social. Vinícius soube 12 dias antes do desfile. E saiba, Paulo Barros correu um risco tremendo com esta revelação, mas acreditou que o segredo seria mantido. Tudo correu bem e a vitória chegou com várias e várias notas 10 para esta empresa tão unida.

A mídia social, muitas vezes usada e até mesmo desacreditada pelas empresas e por profissionais de comunicação foi um meio para criação de um enredo que levou a escola a tão sonhada conquista. Se muitos gestores acreditassem e trocassem ideias com seus funcionários, a tal troca de conhecimento, poderiam estar vencendo a concorrência, assim como o carnavalesco conseguiu.

Fica aqui a lição para gestores e líderes de pequenas, médias e grandes empresas. Se uma escola de samba, que trabalha o ano inteiro como uma empresa, com integração e harmonia para alcançar suas metas, porque uma empresa não pode fazer o mesmo?

 

Tags: , , , , ,

A importância da Comunicação Interna

O vídeo produzido pela ABT Brand Experience Agency nos mostra a importância da comunicação interna para uma empresa, mas revela que nem todo mundo entende ou aprecia.

Para os profissionais de comunicação interna fica aqui registrado o meu recado: depende de nosso profissionalismo e competência para mudar este padrão.

 

Tags: , ,

Motivação. Será que 50% é responsabilidade do funcionário?

AA044448A minha primeira semana de junho foi dedicada a estudar e principalmente, fazer reciclagem para o curso de extensão que darei em setembro sobre comunicação interna. Li muitos livros sobre o assunto. Livros de comunicação empresarial e endomarketing, da ABERJE, da FGV, da autora Analisa de Medeiros Brum, do autor Saul Bekin, da Abracom, artigos do site Nós da Comunicação etc. Muitos desses livros e artigos me chamaram a atenção para a informação, integração, transparência das informações, que devem ser passadas de modo claro pelo gestor, motivação etc. São várias fórmulas e dicas para uma boa comunicação interna e corporativa e muitas passadas pela especialista Analisa de Medeiros Brum de forma extremamente importante. Mas, no meio de minha leitura desses vários livros e artigos me deparei com um assunto que já escrevi e que volto a escrever neste texto: motivação.

Confesso que é um assunto que mexe com qualquer pessoa. Em todos os seus livros, Analisa enfatiza que se deve dividir a responsabilidade da motivação, atribuindo ao funcionário pelo menos 50%, de acordo com a moderna psicologia organizacional.

Refleti muito sobre isto. Será? Sabemos que a motivação dos funcionários que trabalham em qualquer empresa não podem ser atrelados a apenas prêmios, bônus, aumentos de salários etc. Isto não é um peixinho dourado que deve ser passado com frequência para que o funcionário possa trabalhar da maneira que a empresa deseja. Eu, como uma profissional da área e que trabalhei muito com isto, acredito que valorização está acima de qualquer coisa e eu disse isto em meu texto passado. A satisfação de ser reconhecido pode ser o peixinho dourado, a cenorinha que tanto o funcionário deseja. Mas, atribuir 50% de motivação para este colaborador é um peso altamente grande. Se estiver errada, por favor, mandem comentários.

Fico pensando nas empresas que passam atualmente por problemas internos e organizacionais. Já presenciei várias com problemas nestes meus longos anos de carreira e posso afirmar que um clima desfavorável afetou e afeta completamente a motivação de equipes de vendas, de comunicação interna, engenharia, marketing, ativação, chão de fábrica etc. A sensação que tinha era de um rastilho de póvolra. Riscou, corre rápido e sem dar tempo de chamar o bombeiro. É preciso um trabalho intenso e um planejamento estratégico forte para que a motivação, o orgulho e o sorriso volte a reinar nos rostos dos funcionários que fazem a diferença dentro dessas empresas.

Não basta usar o velho jargão, que muitos profissionais odeiam mas que muitos utilizam: vestir a camisa. Caso o funcionário esteja desmotivado por qualquer motivo aparente, se a empresa estiver desestruturada, com clima de desintegração entre as equipes, não há nada que faça o funcionário vestir a camisa que ele sempre vestiu com orgulho. Nada fará com que ele saia de casa como faz todos os dias de sua vida, com aquele sorriso nos lábios e com a satisfação de que fará um excelente trabalho naquele dia.

Concordo com a autora que motivação também deve estar dentro de cada pessoa e que existem milhões de exemplos de automotivação. Bill Gates, Carlos Slim, Silvio Santos são citados como pessoas que se automotivaram. O primeiro não ligou de ser chamado de nerd, o segundo fez fortuna quando criança trocando figurinhas e o terceiro vendendo canetas dentro das Barcas que fazia a travessia Rio/Niterói. São exemplos de pessoas riquíssimas e que não esmoreceram.

Ambientes desfavoráveis acabam desestimulando todos dentro do local de trabalho. A falta de informação, de integração acaba com qualquer empresa. Como achar motivação quando o empregado muitas vezes é o último a tomar conhecimento de uma informação importante de sua empresa? Sério! Tem empresas que lançam produtos e serviços primeiro para o mercado e depois comunicam para seus funcionários.

Qual é o empregado que fica motivado ao saber que sua empresa está lançando um serviço por uma revista ou porque seu vizinho viu o anúncio primeiro que ele? Olha que existem muitas empresas no mercado que insistem neste tipo de comunicação! A comunicação interna não trabalha aliada a comunicação externa. Isto é inconcebível. O funcionário se sente desmotivado e vê que ele não é fator importante para a empresa que trabalha.

Este gestor, que deixou de se alinhar com a comunicação interna, esqueceu que o funcionário de sua empresa poderia muito bem ser o maior vendedor do produto lançado no intervalo do Fantástico?

Bem, aí vai uma dica para que a informação circule de forma rápida e transparente entre a empresa e os funcionários. Isto motiva, senhor gestor! Uma empresa tem que ser uma única equipe.

É fácil em uma grande empresa achar feudos e disputas corporativas e isto acaba gerando desorganização e climas desfavoráveis entre áreas. Sim, ainda é muito comum. Mas, acabar com este tipo de cultura é possível, porém exaustivo. É necessário principalmente planejamento, conscientização, trabalhar com os funcionários os valores, a cultura a ética da empresa. Além disso, são necessários gestores fortes e comprometidos para que a empresa volte a ter motivação, acabe com as disputas corporativas  e os feudos internos e venha a ser integrada.

O certo, e concordo com a Analisa de Medeiros Brum, é que não há fórmula mágica. Motivação é assunto sério e estudiosos estão tentando identificar fatos que possam motivar e comprometer os funcionários em um ambiente de trabalho.

Enquanto esta fórmula mágica não é achada, as empresas devem dar cada vez mais importância ao trabalho da Comunicação Interna. É por meio dela que podemos fazer circular a informação certa e segura e ainda a integração dos funcionários/empresa.

Como profissional volto a dizer: a fórmula mágica ainda está no reconhecimento/valorização. Este tipo de ação dá um “gás” ao funcionário. Mas, atenção! Não faça desta pequena ação um contentamento momentâneo, o que costumo comparar com a mulher que vai ao shopping e tem compulsão por compras para tapar um vazio existente. Valorização/reconhecimento tem que ser uma ação constante para que um dia, nós da área de comunicação, possamos achar quem sabe a tão sonhada “fórmula mágica’’.

 

Tags: , , ,