RSS

Mulheres de Negócios

09 abr

Estou participando de um grupo chamado “Mulheres de Negócios“, que está no rede LinkedIn. Quem abriu este grupo está de parabéns! Quase não vemos grupos dispostos a discutir o que as mulheres sentem ou deixam de sentir no mundo corporativo.

Uma das discussões era relacionada a compreensão do mundo corporativo quanto a terceira jornada de trabalho da mulher. Foi perguntado a mulherada associada ao grupo se as empresas se importavam com as preocupações das mulheres com relação aos filhos, casa, escola etc, e se isto atrapalhava o seu desenvolvimento profissional.

Vamos ser sinceros: atrapalha e muito. O mundo corporativo e as empresas não estão nem aí para a terceira jornada da mulher. Não há preocupação com a febre inesperada de uma criança ou se  esta mulher tem que administrar outro tipo de negócio que se chama: casa.

As empresas acham que a partir do momento em que a mulher coloca o crachá e o pé dentro da empresa ela deve deixar para trás os filhos, marido e a sua casa e nem se lembrar do que pode estar a contecendo por lá. A mulher deve estar focada nos negócios da empresa, no lucro, nos resultados e nada mais.  É a mais pura realidade. As empresas não podem se dar ao luxo de perder mercado porque uma criança está em um CTI ou com uma febre ou gripe forte. A mulher de negócios que administre bem o seu tempo e se dedique o suficiente para que seu trabalho tenha uma performance acima do esperado, do jeito que foi solicitado quando ela se dispos a aceitar o trabalho.

Mas, isto é o certo? As empresas não deveriam pensar de forma diferenciada? Não estou dizendo que as empresas devem dar privilégios ao sexo feminino. Mas deveriam dar pelo menos  uma atenção especial a estas mulheres que se desdobram para  cuidar dos negócios de uma empresa e de outra empresa que é a sua casa.

É uma situação delicada que qualquer gestor e o setor de RH deve estar bem preparado para acompanhar de perto a função de mulher de negócios e mãe.

No momento de uma avaliação de performance as mulheres acabam sendo prejudicadas por causa deste motivo. Já vi muitas serem demitidas porque saiam no horário para pegar seus filhos na creche e as empresas achavam que o sangue doado até o horário estipulado não era o suficiente para a competição de mercado.

Fica a minha pergunta: As empresas avaliam de uma forma correta esta situação?

Anúncios
 
4 Comentários

Publicado por em 09/04/2009 em Opinião

 

4 Respostas para “Mulheres de Negócios

  1. Vany Laubé

    14/04/2009 at 16:15

    Janaína,

    Estou visitando seu blog pela primeira vez e acho que ele vai bombar! Estou gostando de ver suas opiniões sinceras, fortes, obstinadas, sem medo de ser feliz e, o melhor de tudo, de, nesta era em que compartilhar é tudo, quem sabe agora, “cutucar” quem faz política apenas “para inglês ver” – especialmente depois do escândalo que foi o recente caso Embraer na área de RH, surtir algum efeito realmente benéfico e real? Boa sorte para você e para a Plano B e que ela vire Plano A em todas as empresas que não adotaram estas idéias logo de cara e possam, agora, adotá-las como Plano B e realmente… fazer a diferença! Apenas uma dica – quem sabe você não consiga rechear seus posts com números de pesquisas lá de fora mesmo, – no caso específico deste post sobre as mulheres – sobre o quanto elas representam hoje no efetivo das empresas e nos seus resultados – mundialmente – para que valha a pena os setores de RH as olharem com mais carinho? Números para este pessoal são sempre bons complementos para convencimento desse pessoal, não? Beijos e sucesso novamente. Vany

     
    • janamachado

      14/04/2009 at 19:33

      Oi amiga!
      Obrigada pela força e pelo carinho.
      Adorei sua idéia e vou colocar em prática. A mulher fez a revolução nos anos 60/70, disse que iria fazer e acontecer, brigou pelos seus direitos e ainda está ganhando menos que os homens no mundo corporativo. Não há igualdade e esta é a pura realidade. São poucas as mulheres que ganham em pé de igualdade com os executivos de ponta. alvo aquelas que saem na capa da Exame de braços cruzados e que muitas vezes morremos de inveja.
      Mas, adorei sua idéia e vou correr atrás para novos post. Bjs

       
  2. Gladis

    21/07/2009 at 09:22

    Olá Janaína, eu sou a Gladis, criadora do grupo Mulheres de Negócios. Que bom que você está gostando do grupo. Fico feliz e muito orgulhosa, já estamos com mais de 270 associadas/os (tem homens também…)

     
    • janamachado

      21/07/2009 at 17:53

      Olá Gladis,

      Tenho feito muitos posts sobre comunicação interna/empresarial que é mais a minha área. Estou devendo mais posts sobre mulheres no mundo empresarial. Prometo que farei mais.
      Sds

       

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: